10/12/2017 00:00:00

Meu filho é muito medroso! E agora?

ELA VAI PRECISAR DE VOCÊ PARA LIDAR COM AS SITUAÇÕES

 

Ser uma pessoa tão pequena em um mundo tão grande pode ser bem assustador, e algumas crianças são mais medrosas que outras. E, como não compartilhamos dos mesmos pânicos que eles, ficam mais difícil entender o que estão sentindo e até respeitar o porque deles não fazerem coisas que parecem ser fáceis e divertidas.

Mas tem algumas dicas que você pode fazer para ajudar o seu filho a viver melhor com isso.

Mostre que entende o medo dele. Falar para o seu filho que aquilo não tem sentido, é imaturo ou bobo não ajuda de nenhum jeito. Ao invés disso, mostre que entende o que ele sente e que você está ali para ajudar.

Explique o motivo que não ter medo. É preciso um pouco mais de maturidade por parte da criança em entender que não é preciso ter medo de monstros porque não existem. Mas se a criança já é um pouco maior, é bom você senta com ele e entender juntos o porquê daquele medo.

Encoraje, mas não insita. Se o seu filho está com medo de andar na montanha-russa, por exemplo, encoraje-o a tentar. Pode ser que apenas o fato de nunca ter andado antes o deixe tão receoso, mas se demonstrar muito relutância, não insista. Ele pode acabar vindo sozinho, mas insistir tanto pode provocar um medo ainda mais intenso.

Não deixe que o medo do seu filho controle a casa. Tem uma diferença entre entender o medo dele e deixar que isso vire uma coisa normal dentro de casa. Mudar o passeio ou a rotina porque ele tem medos de fantasmas ou parques, faz com que ele entenda que aquele medo faz sentido, o que só piora a situação.

Faça com que ele sinta que você vai mantê-lo em segurança sempre. Independente do medo do seu filho for maior ou menor, fizer mais ou menos sentido, seu papel é se manter calmo e mostrar que está no controle da situação e que é mais do que capaz de garantir a segurança dele.

 

Veja Também

 

Campanha Setembro amarelo: o que é, como surgiu, objetivo e mais

Saiba mais sobre essa importante causa

ATENÇÃO: Novo fenômeno da internet causa mortes em adolescentes

Conheça o Momo e os riscos dessa

“Seja em que momento for, o bilinguismo traz inúmeros benefícios cognitivos, sociais, culturais e econômicos”, defende pedagoga

Selma Moura, mestre em Linguagem e Educação, fala em entrevista à Educação sobre bilinguismo e defende que mesmo crianças pequenas podem começar a aprender uma segunda língua

Colégio Vivendo e Aprendendo realiza seu Baile de Carnaval

Esse é o primeiro evento da agenda de 2018

50 brincadeiras para fazer com as crianças

Trazemos aqui brincadeiras que não exigem brinquedos elaborados e ainda colocam a cabeça dos pequenos pra pensar

Desenvolvido por Máquinaweb Soluções em TI |